Jornada Scania
Utilizamos apenas os cookies do Google Analytics para analisar nosso tráfego. Ao clicar em "Aceito", você concorda em dar seu consentimento para que todos os cookies sejam usados e as informações sejam compartilhadas com o Google Analytics.







[ Mobilidade ] -- 04/04/2023
[ Texto: 528 Comunicação Com Propósito, Assessoria de Imprensa Scania Brasil / Foto: Scania ]

Como fica o segmento de ônibus em 2023

Saiba quais são as perspectivas da Scania para o segmento de ônibus em 2023, tanto no mercado rodoviário como no urbano e fretamento
Seja para viajar e rever a família ou os amigos, seja para ir ao trabalho ou se deslocar dentro da cidade, a verdade é que viajar de ônibus esteve bem complicado nos últimos três anos. Em virtude da pandemia de Covid-19, o segmento de ônibus urbano e rodoviário ficou mais retraído, afinal eram muitas as restrições para os passageiros e os operadores do setor. Mas e agora, neste período pós-pandêmico, a tendência é de retomada? O que se espera para o segmento em 2023? Como será o comportamento do usuário após uma demanda tão reprimida?
A Revista Jornada conversou com Celso Mendonça, gerente de Vendas de Soluções para Mobilidade e Potência da Scania Operações Comerciais Brasil, e esclareceu essas e muitas outras dúvidas sobre o segmento de ônibus. Neste bate-papo, Celso também fala sobre a sustentabilidade do setor, a eletrificação do segmento, a Nova Geração de ônibus Scania Euro 6 e ainda conta o que a marca espera para este mercado em 2023. Confira!
Qual é a perspectiva da Scania para o segmento de rodoviários?
Estamos com uma carteira muito boa, as grandes empresas rodoviárias estão comprando Scania. Estamos otimistas para o ano. Mas, ainda não há uma previsão mais concreta de aumento em relação ao mercado de 2022. A necessidade de rodagem está igual ao período pré-pandêmico, o que nos dá um sinal claro de que o cliente está interessado. A grande maioria da carteira está com o 6x2, depois o 8x2 e por último o 4x2. Estamos nos posicionando muito bem nos segmentos e nichos estratégicos.
Com o fim das restrições impostas pela pandemia, como ficam os mercados de urbano e fretamento?
Os operadores urbanos foram os que mais sofreram com a pandemia, sem dúvida. Ainda deve levar mais um tempo para uma recuperação mais robusta do segmento, mas estamos confiantes com nossas soluções. Temos uma parceria de sucesso com a Eletra, Caio e Weg em uma espécie de modelo elétrico que está fazendo muito sucesso. Estamos acompanhando este movimento. E, o gás continua sendo um grande foco nosso. Teremos várias demonstrações ao longo do ano como uma alternativa entre o elétrico e o diesel. Estamos percebendo um questionamento de muito interesse dos órgãos gestores pelo nosso produto a gás. A nossa solução 15 metros está sendo cada vez mais estudada para a substituição dos articulados.
Celso Mendonça, gerente de Vendas de Soluções para Mobilidade e Potência da Scania Operações Comerciais Brasil
Quais serão os principais desafios deste ano?
Neste momento, a falta de crédito ainda é um fator que está impactando a postergação de algumas compras. Mas, ao longo dos meses o mercado vai sendo estabilizado e estamos confiantes. Estamos com nossos Serviços Financeiros à disposição para apoiar o cliente em sua operação.
E o abastecimento de semicondutores e outros componentes na linha de ônibus também poderá ser um desafio ou isso já se normalizou?
Vemos uma tendência mais positiva e de maior estabilidade na cadeia produtiva neste ano e seguimos trabalhando próximos aos nossos fornecedores para minimizar eventuais impactos e garantir as entregas para nossos clientes.
Como o mercado está enxergando a chegada da linha Euro 6? Essa mudança de fase do Proconve P8 pode atrapalhar a retomada do setor?
Temos certeza de que a Nova Geração de Ônibus Euro 6 será um sucesso. Nosso lançamento vai atender as normas de redução de emissões, aumentar a segurança e o conforto e ainda economizar mais combustível colocando mais dinheiro no bolso do operador. A nova linha chegou com soluções completas de produtos e serviços para resolver as diferentes necessidades dos clientes. Aliando a correta especificação do produto, conectividade,treinamento dos motoristas e manutenção adequada. Ou seja, a Nova Geração de ônibus oferece um custo total de operação imbatível.
Quais as principais novidades dessa Nova Geração? O que muda em termos de tecnologia e economia de combustível?
Desenvolvemos uma linha baseada em três pilares: sustentabilidade, rentabilidade e segurança. Estamos trazendo para o Brasil a geração mais recente da Europa e que representa uma evolução para as linhas focadas em ônibus no país. As principais novidades da Série K Scania são: motores com sistema de injeção múltipla XPI e lay shaft brake (troca de marchas 45% mais rápidas), evolução do sistema de segurança ADAS e novos sensores (alertas de ponto cego e de pedestres), atualizações das caixas de câmbio Scania Opticruise (rodoviários) e ZF EcoLife 2 (urbanos), chassi mais leve, novo eixo traseiro direcional do urbano de 15 metros com sistema eletro-hidráulico, rodoviário 8x2 com 500cv (maior potência do mercado) e área do motorista redesenhada e aprimorada (painel, volante e pedais). Já em serviços, a Scania traz a pioneira manutenção com planos flexíveis (redução no custo de reparos em até 25%), o Control Tower (até 30% de diminuição no tempo de parada) e o Scania Zone (monitoramento mais personalizado da frota e que permite controlar a média de velocidade em trechos críticos). Os novos modelos estarão disponíveis numa vasta gama de trens de força e vão proporcionar até 8% de economia de combustível em ônibus rodoviários – sendo 7% do motor XPI Euro 6 e 1% da caixa automatizada Scania Opticruise –, e de até 10% nos urbanos, sendo 7% do motor XPI Euro 6 e 3% da caixa automática ZF EcoLife 2, além de baixos níveis de emissões e de ruídos.
E o modelo Euro 5, a Scania continuará produzindo esse tipo de chassi?
A Scania introduziu uma Nova Geração de ônibus a partir deste ano, e seguimos com a oferta de Euro 3, Euro 5 e Euro 6 para cumprir com as diferentes demandas legais dos mercados que atendemos globalmente. Esse movimento é coordenado pela nossa área de exportação.
Como a Scania avalia o avanço da eletrificação no mercado de ônibus? Tem ônibus elétrico da Scania no Brasil ou há a previsão de chegada do modelo?
A Scania não está vendendo caminhões ou ônibus elétricos no Brasil, diferente da realidade da Europa. Estamos mantendo firme nosso propósito de liderar a transição para um sistema de transporte mais sustentável iniciado na Europa, em 2016. Desde então, a evolução da agenda da sustentabilidade vem sendo com nossos modelos movidos a GNV (gás natural veicular) e/ou biometano. A maturidade do mercado é essencial para os avanços que planejamos para os próximos anos. O investimento certo do cliente hoje representará um transporte mais seguro, eficiente e menos poluente.
Embora não esteja vendendo elétricos no Brasil, a marca está preparada para atender a essa demanda do mercado?
A Scania tem a linha elétrica disponível, na Europa. Para a introdução de uma tecnologia no mercado, precisamos levar em consideração três aspectos: a tecnologia do produto, a tecnologia do combustível e a distribuição desse combustível. No caso de veículos elétricos, é preciso uma rede de carregamento para todo o país e o aumento da oferta de eletricidade para atender a demanda de uma frota. Além disso, ainda há discussões sobre o descarte das baterias e seu impacto ambiental. É preciso lembrar que o momento oportuno para vender no Brasil será quando a tecnologia fizer sentido para a operação dos nossos clientes do ponto de vista econômico e ambiental, ou seja, veículos elétricos no país demandam um equilíbrio entre a maturidade da tecnologia e seus custos de operação, manutenção e carregamento, com uma infraestrutura robusta e que dê segurança energética. Neste momento, enxergamos que há um grande potencial para o gás natural e o biometano no Brasil, como ponte na transição para o ecossistema de transporte e logística livre de carbono. Portanto, o veículo elétrico é o caminho do futuro, sim, mas o ´Aqui e Agora’ para o Brasil é o gás. Na Europa, já temos nossas opções elétricas, híbridas e também a gás.
Por falar nisso, a Scania já tem encomendas de ônibus Euro 6 e movidos a gás natural?
Já temos encomendas sim, e entregas sendo feitas e outras programadas, num processo normal de mercado. Para o mercado brasileiro, ainda não temos venda confirmada do veículo a gás, neste momento, mas estamos recebendo muitas consultas. Começamos uma demonstração metropolitana em Curitiba, em março, e deveremos ter outra com ônibus rodoviário em breve, em São Paulo. São ações que vão ajudar a gerar ainda mais interesse de clientes, pois vão presenciar de perto os benefícios que oferecemos com a solução Scania.

Comentários

Envie seu comentário para ser publicado

Ao preencher o formulário, autorizo a utilização dos meus dados para envio de comunicações relacionadas aos meus interesses e concordo com a Declaração de Privacidade.
* Você pode revogar seu cadastro a qualquer momento.

Leia também:


A Scania é líder mundial de soluções de transporte. Juntamente com nossos parceiros e clientes, estamos liderando a transformação para um sistema de transporte sustentável. Em 2017, entregamos 82.500 caminhões, 8.300 ônibus, e 8.500 motores industriais e marítimos para nossos clientes. A receita líquida alcançou quase 120 bilhões de coroas suecas, dos quais cerca de 20% eram relacionados a serviços. Fundada em 1891, a Scania opera em mais de 100 países e emprega cerca de 49.300 pessoas. Pesquisa & Desenvolvimento estão concentrados na Suécia, com filiais no Brasil e na Índia. A produção ocorre na Europa, América Latina e Ásia, com centros regionais de produção na África, Ásia e Eurásia. A Scania faz parte da TRATON AG. © Copyright Scania 2018 All rights reserved. Scania Brasil, Av. José Odorizzi, 151 - Vila Euro, São Bernardo do Campo. SP. Tel: +55 11 4344-9333