Jornada Scania
Utilizamos apenas os cookies do Google Analytics para analisar nosso tráfego. Ao clicar em "Aceito", você concorda em dar seu consentimento para que todos os cookies sejam usados e as informações sejam compartilhadas com o Google Analytics.







[ Soluções de Transporte ] -- 07/11/2022
[ ]

Lançamentos e estabilidade da cadeia de fornecedores pavimentarão a recuperação da Scania no mercado

Fabricante sueca amplia portfólio de semipesados e mantém aposta forte nos modelos a gás; variedade de soluções permitirá atender ainda mais nichos
A Scania vai retomar sua participação de mercado na categoria de caminhões pesados a partir de 2023. Para isso, dentre os fatores essenciais estão os lançamentos de produtos (nova linha Proconve P8/Euro 6 e gama Super), de soluções de serviços e a estabilidade global da cadeia de fornecedores. Durante a pandemia, a marca sofreu os impactos mais agudos da crise da falta de componentes, especialmente de semicondutores, o que limitou a fabricação de veículos. Atualmente, a fábrica está operando com 100% da capacidade. Além disso, a empresa está ampliando o portfólio de veículos semipesados para atender as necessidades dos clientes que estão se tornando tendência, e também atualizou o leque de opções para operações fora de estrada.
“Estamos otimistas para este momento de estabilidade da produção e retomada do mercado. A Nova Geração de caminhões, lançada em 2018, e suas cabines mais tecnológicas e eficientes da história da Scania, somada aos investimentos feitos na nova linha de motores P8/Euro 6 e gama Super, para ampliar e fortalecer todos os nossos segmentos de atuação, formam um conjunto fundamental para que a empresa volte a ser líder de mercado nos próximos anos”, afirma Alex Nucci, diretor de Vendas de Soluções de Transporte da Scania no Brasil. “Seguimos realizando esforços para a profissionalização da gestão do mercado, que anseia por recursos e serviços que reduzam os desperdícios e propiciem o retorno do investimento calculado pelo custo total de propriedade aumentando a rentabilidade e a disponibilidade da frota. Com as novidades da linha 2023 e apoio dos nossos Serviços Financeiros (Banco, Consórcio e Seguradora), a Scania vai oferecer um custo total de operação imbatível. Tudo isso vai resultar em um valor de revenda ainda mais alto dos veículos Scania.”
Todos os modelos chegarão ao mercado brasileiro já adequados para atender aos requisitos obrigatórios de metas de controle de emissões da fase P8 do Programa de Controle da Poluição do Ar por Veículos Automotores (Proconve), ou equivalente à lei europeia Euro 6, definidos na resolução 490, de novembro de 2018, do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama), integrante do Ministério do Meio Ambiente. Norma que entrará em vigor em 1.º de janeiro de 2023.
Os novos motores Scania Proconve P8/Euro 6 desenvolvem os mais altos torques do mercado e propiciam aumento da eficiência energética em relação à geração atual, P7/Euro 5, o que na prática traz melhores resultados aos negócios dos clientes. Haverá uma economia de 2% no consumo de combustível. Já na gama Super a redução de consumo poderá chegar a até 8% em comparação com a linha Euro 5.
Portfólio de semipesados ganha reforço
Dentro do contexto da nova linha de motores Euro 6, a Scania acrescenta novos produtos para aumentar o sortimento de aplicações. “Acreditamos que ainda há muitas oportunidades de soluções e nichos para a categoria de semipesados, que é tão importante para o transporte de cargas no Brasil”, diz Nucci. Na linha P8/Euro 6 os destaques serão o P 280 6x2 o P 320 8x2, que terão até 2% de economia de combustível sobre a atual linha Euro 5. O já consagrado P 360 8x2, que embora seja classificado como pesado, também fortalece o portfólio de veículos sobre chassis e continua sendo mais uma opção.
“Queremos reforçar nossa atuação nos segmentos de médias distâncias nas aplicações de carga geral, sider, baú e combustível. Nossa gama oferece maior velocidade média, durabilidade, robustez, conforto, ergonomia e segurança, além de melhor eficiência energética (superior economia de diesel), do mercado.”
Por outro lado, a Scania passa a dar os primeiros passos rumo a uma futura gama estendida de modelos semipesados movidos a gás. “Acreditamos que os modelos a gás serão importantes na interiorização do transporte em regiões como o Mato Grosso, por exemplo. Naquele estado está o preço mais competitivo do país para esse tipo de combustível, porém o uso está muito concentrado na capital”, conta Nucci. “Nosso objetivo é multiplicar a adesão aos veículos a gás, especialmente nos grandes centros de distribuição de cargas no Brasil, contribuindo para a jornada mais sustentável da operação por meio do uso do biometano.”
Mercado rodoviário seguirá líder de vendas da indústria
Tradicionalmente reconhecida por ser quem oferece as soluções completas que proporcionam o menor custo total da operação, a Scania seguirá ainda mais protagonista no segmento de longas distâncias. A nova linha de motores Euro 6 e a gama Super aliadas a todas as vantagens das cabines da Nova Geração de caminhões e serviços vão elevar a marca a um novo patamar de como o cliente vai mensurar resultados.
Desde a chegada das cabines da Nova Geração de caminhões, em 2018, a Scania implantou o sistema TMA, que permite inúmeras configurações de caminhões e suas soluções personalizadas nos detalhes para cada segmento. Mesmo diante dessa amplitude de opções, alguns modelos vão se destacar no mercado pavimentando o caminho para os objetivos de vendas no Brasil e satisfação dos compradores.
Na faixa de entrada dos pesados, o estreante P 370 4x2, de 370 cavalos de potência e motor 13 litros, reúne características completas para clientes que precisam levar cargas leves de até 41,5 toneladas, em médias e longas distâncias, com carretas de dois ou três eixos na transferência de cargas em geral, contêiner, cegonha e combustível. Suas vantagens são o propulsor de alto torque em baixas rotações, baixo consumo, maior velocidade média e conforto, ergonomia e segurança.
Na gama Super, devem brilhar os caminhões R 460 6x2, R 500 6x2 e R 560 6x4. O R 460 6x2 herdará o peso de representar a evolução dos campeões de vendas da marca, o histórico e maior de todos até hoje R 440, e R 450, de motores Euro 5. Na faixa de 500cv, a Scania manterá a mesma potência, porém o motor estará 8% mais econômico por passar a ser equipado pelo trem de força Super. Ambos vão seguir a trilha de sucesso como melhores em valor de revenda e custo-benefício em termos de eficiência energética. Serão vocacionados ao transporte de cargas de até 58 toneladas, em longas distâncias, com carretas de três, quatro e sete eixos (bitrem) para cargas em geral, frigorificadas, basculante, combustível e grãos. Seus diferenciais são o menor consumo da categoria, alto torque em baixas rotações, novo freio de liberação de compressão (CRB) com maior potência de frenagem e maior valor de revenda.
Um segmento de mercado muito importante para a Scania é de composições 6x4 em carretas nove eixos (bitrenzão e rodotrem) para até 74 toneladas. O cavalo mecânico indicado passa a ser o R 560 6x4, que substitui o R 540, que vem se destacando no Agro desde seu lançamento na chegada da Nova Geração de caminhões, em 2018. Tradicionalmente, cerca de 44% do volume de caminhões vendidos pela Scania no Brasil vai para a cadeia do agronegócio. Por isso, o R 560 6x4 será fundamental na estratégia da empresa. Além do ganho de 20cv de potência, o aumento do torque para 2.800Nm o torna o maior da categoria e a Scania também agrega mais robustez por meio do novo eixo traseiro RB885, com a estreia do cardan em formato reto, de aumento de capacidade de carga e tração. O R 560 6x4 é ideal para levar cargas em geral, grãos, basculante e combustível por longas distâncias. As vantagens são o motor 8% mais econômico do que o atual pela incorporação do trem de força Super, alto torque em baixas rotações, potência elevada, novo freio CRB de maior potência de frenagem e muito mais produtividade e disponibilidade num maior valor de revenda.
Caminhões a gás e/ou biometano: ‘Aqui e Agora’ para a realidade brasileira
A Scania segue firme em seu propósito de liderar a transição para um sistema de transporte mais sustentável. Na visão da empresa, os veículos elétricos são o futuro, mas a passagem do modal diesel deve ter a solução a gás como intermediária, da mesma forma que tem sido na Europa. No Brasil, a Scania é pioneira na introdução de caminhões movidos a gás natural comprimido (GNC) ou liquefeito (GNL) e/ou biometano e já vendeu mais de 600 modelos, desde 2019. A projeção para 2023 é comercializar entre 600 e 1.000 unidades.
“Para colaborar na expansão dos postos de combustíveis que passem a comportar caminhões para serem abastecidos com GNC e no crescimento da produção de biometano, o que na prática significa aumentar a cobertura dos chamados “corredores azuis”, estamos formando cada vez mais parcerias com grandes produtores e distribuidores de gás, além de grandes embarcadores e transportadores. O intuito nos próximos anos gerar um impacto ainda mais positivo para a transição do mercado para um transporte mais sustentável. A ideia é que possamos trilhar um caminho de sucesso a partir de todo o conhecimento que temos consolidado a partir da nossa base de mais de 600 unidades ativas”, conta Nucci.
Os motores já são Euro 6 desde a chegada ao país junto da Nova Geração, em 2018. Suas potências não mudaram. As apostas continuam sobretudo na potência de 410cv e também na opção de 340cv. O R 410 6x2 e o P 340 4x2 podem transferir cargas de até 58 toneladas em médias e longas distâncias em conjuntos de três ou quatro eixos.
Os pioneiros Scania movidos a gás têm motores Ciclo Otto (o mesmo conceito dos automóveis), são movidos 100% a gás natural e/ou biometano, ou mistura de ambos, não são convertidos do diesel para o gás, têm garantia de fábrica, tecnologia confiável e desempenho consistente e força semelhante ao diesel. Além de serem mais silenciosos. A segurança é total em caso de acidentes ou explosão. Os cilindros e válvulas são certificados pelo Inmetro (em conformidade com a lei). São três válvulas (vazão, pressão e temperatura) que liberam o gás em caso de anomalia em um destes três quesitos. Os cilindros são extremamente robustos (o material é de ogivas de mísseis). Em caso de incêndio ou batida o gás é liberado para a atmosfera e se dissolve sem perigo de explosão ao contrário de um veículo similar abastecido a diesel que é mais perigoso, pois o líquido fica no chão ou em cima do caminhão.
Segmento fora de estrada ganha ainda mais relevância
É um sucesso e líder de mercado a linha XT da Nova Geração de caminhões, lançada em 2018, de veículos vocacionados ao trabalho fora de estrada. A partir de janeiro de 2023, da mesma forma que em todos os outros modelos da marca, chegará a hora de receber os motores P8/Euro 6 e a ampla gama de soluções para atender ao maior número de aplicações possíveis com o tradicional portfólio para os segmentos de mineração, cana, madeira e construção.
“Vamos manter a consolidação da liderança de nossos melhores modelos dentro das aplicações disponíveis, conectando eficiência energética, maior produtividade por tonelada transportada, amplo portfólio de serviços, atendimento remoto das Casas Scania na operação do cliente e sustentabilidade, tanto com modelos a diesel, mais econômicos e menos poluentes, quanto a movidos a gás. Queremos destaques de vendas nas categorias em que atuamos”, diz Nucci.
Na mineração, os modelos P 450 6x4 e G 500 8x4 – ambos de motor 13 litros – e R 660 V8 10x4 Heavy Tipper (16 litros), todos de chassi rígido ou plataforma, são as principais apostas da fabricante. Equipados com os novos propulsores P8/Euro 6 ganharam 2% de economia sobre a geração atual P7/Euro 5. Para a mineração e a construção pesada na aplicação 10x4, a Scania estreia o motor V8, de nova potência de 660cv, em substituição ao G 540, e o PBT técnico é de 71 toneladas. Os três atuam prioritariamente em operações confinadas. Seus diferenciais são maior peso bruto total (PBT) e capacidade máxima de tração (CMT) da categoria, superior conforto, ergonomia e segurança, customização de soluções para o segmento, menor consumo de combustível por tonelada transportada e maior produtividade.
Na cana e madeira, os cavalos mecânicos G 560 6x4 e R 560 6x4 – ambos de motor 13 litros – deverão se sobressair. Equipados de trem de força Super, com 8% de economia sobre a geração atual, têm capacidade de carga líquida de até 74 toneladas, e atuam em operações mistas de médios e longos trajetos rodoviários. Além da opção para a cana de capacidade dé 91 toneladas. Em comparação aos concorrentes eles dispõem de maior torque, potência, produtividade e capacidade máxima de tração (CMT), menor consumo e superior conforto, ergonomia e segurança.

Comentários

Envie seu comentário para ser publicado

Ao preencher o formulário, autorizo a utilização dos meus dados para envio de comunicações relacionadas aos meus interesses e concordo com a Declaração de Privacidade.
* Você pode revogar seu cadastro a qualquer momento.

Leia também:


A Scania é líder mundial de soluções de transporte. Juntamente com nossos parceiros e clientes, estamos liderando a transformação para um sistema de transporte sustentável. Em 2017, entregamos 82.500 caminhões, 8.300 ônibus, e 8.500 motores industriais e marítimos para nossos clientes. A receita líquida alcançou quase 120 bilhões de coroas suecas, dos quais cerca de 20% eram relacionados a serviços. Fundada em 1891, a Scania opera em mais de 100 países e emprega cerca de 49.300 pessoas. Pesquisa & Desenvolvimento estão concentrados na Suécia, com filiais no Brasil e na Índia. A produção ocorre na Europa, América Latina e Ásia, com centros regionais de produção na África, Ásia e Eurásia. A Scania faz parte da TRATON AG. © Copyright Scania 2018 All rights reserved. Scania Brasil, Av. José Odorizzi, 151 - Vila Euro, São Bernardo do Campo. SP. Tel: +55 11 4344-9333