Jornada Scania







[ Sustentabilidade ] -- 17/05/2021

[ Texto: Simone Leticia / Fotos: Arquivo do Grupo São Martinho ]

Scania a gás chega ao setor canavieiro

Caminhão movido a gás da Scania segue fazendo história dentro e fora das estradas do Brasil. Depois da mineração e do setor de coleta de lixo, é para o segmento de cana que ele vai levar ainda mais sustentabilidade no transporte e na logística da operação.
[ Texto: Simone Leticia / Fotos: Arquivo do Grupo São Martinho ]
Quando falamos sobre o Scania movido a gás natural veicular e/ou biometano, a primeira imagem que vem à mente da maioria das pessoas é este caminhão rodando pelas rodovias do Brasil e do mundo. Mas a verdade é que essa solução, que veio para ficar e transformar o transporte, também tem feito bonito e contabilizado bons resultados nas operações fora de estrada.
A Usina Santa Cruz, do Grupo São Martinho, é um exemplo. Aliás, o primeiro e bom exemplo do segmento canavieiro a testar a solução de transporte sustentável da Scania. Junto dela, outras seis usinas no Brasil estão operando com o novo modelo a gás.
Antonio Carlos Pelizari Pinto é assessor de tecnologia agrícola da São Martinho e conta que o modelo G 410 movido a gás tem trazido bons resultados. “Fomos a primeira usina a utilizar o caminhão a gás. Em nossa operação, ele roda na Usina Santa Cruz, em Américo Brasiliense (SP), com carga média de 53 toneladas. O desempenho e a disponibilidade mecânica estão muito bons”, destaca.
Foco na sustentabilidade
A escolha da usina no interior de São Paulo, entre as quatro do grupo, deve-se ao fato de o local já ter um sistema próprio de abastecimento de gás. “Colocamos um sistema de abastecimento com bico de maior vazão para ganhar tempo de abastecimento. O caminhão tem sido abastecido três vezes por dia, uma em cada turno, e em uma em média de 12 a 15 minutos, dependendo da quantidade de gás remanescente. São 236 metros cúbicos de volume, o que para a nossa operação corresponde a 250 km de autonomia. Assim, nosso caminhão roda 500 km em média por dia”, detalha Pelizari.
Mas, apesar de estarem atualmente utilizando o gás como combustível, o Grupo já olha para o futuro e pensa em tentar viabilizar o biometano, já que se trata de um ativo que pode ser produzido a partir da vinhaça, altamente disponível no processo de produção das usinas de cana-de-açúcar. “Estamos fazendo estudos de viabilidade porque para produzir biometano a partir da vinhaça existem custos. Esse teste com o caminhão a gás também está servindo para fornecer dados relevantes para incluir nesse estudo. O consumo é importante para saber quanto o produto vai custar. Estamos vendo com muito bons olhos e esperamos que seja viável pela economia de combustível e outras vantagens e ganhos ambientais”, relata.
Dentro e fora do veículo
Tão importante como os resultados com o uso das novas tecnologias é a satisfação do motorista. “Os motoristas gostam, elogiam e dizem que o veículo a gás tem força e torque igual a um modelo a diesel. Eles relatam que o caminhão que não perde marcha na subida e gostam muito do Scania por ser um caminhão bem macio. Sem falar que esse com ciclo Otto é bem mais silencioso”, conta. Além de estarem na operação, os motoristas também levam o veículo para as revisões, que são feitas na Casa Scania Escandinávia, na unidade de Araraquara. “A concessionária tem um box exclusivo para atendimento”, comenta o assessor.
10 por 9
Segundo Pelizari, os bons resultados em campo com as soluções da Scania não se resumem somente aos testes do novo modelo a gás. “Temos parceria com a Scania no desenvolvimento de várias soluções. Já testamos um V8, que apresentou um desempenho muito bom e compramos 40 unidades. Agora adquirimos recentemente o 620 XT e estamos vendo uma economia média de combustível de 5%. Testamos o 540 e compramos algumas unidades e em relação ao 620 antigo ele apresentou economia de 12%. Estamos muito otimistas. Na Usina São Martinho continuamos com o 620 e pelo desempenho do veículo já estamos conseguindo substituir 10 por 9 caminhões”, ressalta.
Esse é um dos motivos que levaram o Grupo a manter a Scania como parceira de seus negócios. “Quando a gente vai comprar um caminhão, consideramos preço, custo de manutenção e consumo de combustível. Fazemos estudo de viabilidade e sempre resulta em Scania”, conclui.
Para a Scania, isso é motivo de orgulho. “A marca foi líder de mercado no setor canavieiro no ano passado. Cerca de 40% dos caminhões dos transportadores deste setor foram Scania. Além disso, o G 540 6x4, desenvolvido especialmente para esse segmento, foi o modelo mais vendido na indústria em 2019. Ficamos muito felizes por sermos líder e ainda ter o modelo mais vendido no segmento de cana, além de tornar realidade a sustentabilidade no transporte em operações como a da São Martinho”, finaliza Fabrício Vieira de Paula, Gerente de Vendas de Soluções Off Road da Scania no Brasil.

Envie seu comentário para ser publicado


Leia também:


;

Leia tambem no Portal Soluções Scania

A Scania é líder mundial de soluções de transporte. Juntamente com nossos parceiros e clientes, estamos liderando a transformação para um sistema de transporte sustentável. Em 2017, entregamos 82.500 caminhões, 8.300 ônibus, e 8.500 motores industriais e marítimos para nossos clientes. A receita líquida alcançou quase 120 bilhões de coroas suecas, dos quais cerca de 20% eram relacionados a serviços. Fundada em 1891, a Scania opera em mais de 100 países e emprega cerca de 49.300 pessoas. Pesquisa & Desenvolvimento estão concentrados na Suécia, com filiais no Brasil e na Índia. A produção ocorre na Europa, América Latina e Ásia, com centros regionais de produção na África, Ásia e Eurásia. A Scania faz parte da TRATON AG. © Copyright Scania 2018 All rights reserved. Scania Brasil, Av. José Odorizzi, 151 - Vila Euro, São Bernardo do Campo. SP. Tel: +55 11 4344-9333